Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Fora dos meus clichés

por baía azul, em 06.06.13

Vou apenas partilhar o inédito, sem comentários e um dia destes analisar ao detalhe cada linha... mas só depois de ler Utopia

 

O Presidente da República, José Eduardo dos Santos, concedeu uma entrevista ao jornalista português Henrique Cymerman, na qual vieram à conversa temas como a guerra e os anos de paz, o crescimento económico e os investimentos públicos no país, a luta contra a corrupção, as desigualdades sociais, as relações com Portugal, Israel, Brasil e China, os investimentos angolanos no país luso.

Nesta transcrição ficam algumas citações da entrevista desta quinta-feira, 6 de Junho.

Relações com Brasil

Estendem-se a várias áreas de actividade. Temos uma relação de grande amizade. Existem empresas como a Odebrecht que participaram na reconstrução do país.

Relações com Portugal

Não vivemos de padrões do passado. Há muitos problemas mas são localizados em certos círculos da vida portuguesa, que têm algum saudosismo. São relações que se desenvolvem também em quase todas as áreas de actividade. É um dos países que mais investe em Angola. Os portugueses conhecem bem Angola e por conseguinte estão numa posição mais privilegiada.
Os jovens (que saem da Europa devido à crise) são bem-vindos. Temos falta de pessoas qualificadas.

China

A China ajudou-nos com financiamentos (linhas de crédito) bastante razoáveis.
As contruções são de boa qualidade. São empresas que trabalham muito depressa como se vê com a cidade que foi construída há três anos.

Desafios mais importantes

Continuam a ser a formação de pessoal qualificado; manter a estabilidade política, macro-económica; criar as condições para o crescimento económico. Manter os índices circulares de crescimento e a boa gestão das nossas empresas.

Elites vs Maioria população

É um problema que não é só de Angola, mas preocupa-me. A política do nosso partido é combater as assimetrias. Temos um problema sério, uma herança pesada, ainda do tempo colonial, que é o subdesenvolvimento - preocupa-nos que os índices de pobreza ainda sejam elevados, 35,36%.

Corrupção

Não sei se algum dia vamos ultrapassar esse fenómeno. É dos mais antigos no mundo.
É evidente que o esforço dos governos devem estar orientados para a redução desse fenómeno.
Melhoria da actualização das remunerações públicas é uma das medidas.

Instabilidade Social

O Governo está sempre preocupado com a estabilidade social. Saúde, saneamento, educação são prioridades.
Realizamos programas de assistência a jovens em risco.
Há pequenos grupos de jovens a realizar manifestações, jovens com certas frustrações, não tiveram sucesso durante a sua vida escolar/ académica, não conseguiram uma boa inserção no mundo do emprego, mas são fenómenos muito localizados. O Governo está atento a essas situações e trabalha com associações pelo Homem e pelo seu bem-estar.

Primavera Árabe


Eles tentaram, mas não pegou… porque há uma acção positiva do Governo no sentido de melhorar as condições dos cidadãos. Logo depois da Tunísia, da Líbia, tentaram aqui também incitar os jovens a realizar as manifestações, através das redes sociais.
A maioria da população entende que há essa vontade dos governantes para trabalhar pelo bem comum.

Cicratizes da guerra

Angola era um dos países mais minados do mundo, quando terminou a guerra de 2002. Comparava-se ao Cambodja. Desenhámos um programa de desminagem, que sem esse programa não teria sido possível reabilitar mais de dois mil quilómetros de linha ferroviária.
O primeiro orçamento do programa de desminagem era na ordem de 100 milhões de dólares.
Hoje temos zonas desminadas em que se pode desenvolver agricultura, as zonas em que passa o transporte da energia eléctrica e outras zonas que estão sinalizadas para proteger as populações.

Transição 22 anos depois no poder

É humano que assim seja. A primeira manobra é encontrar alguém dentro do meu partido que me substitua.

E depois da Presidência

Não pensei no que vou fazer depois de deixar de ser presidente. Talvez escreva as minhas memórias
Tenho uma fundação, Eduardo dos Santos, que tem uma área social importante. Posso trabalhar em várias áreas.

Regime Angolano

Somos uma democracia, um regime baseado no pluralismo, uma economia mista.
O MPLA é um partido de Esquerda, Centro-Esquerda, somos uma democracia de carácter social, sem desigualdades.
O que procuramos é a redistribuição equilibrada da riqueza, com o objectivo último de estabelecer uma sociedade sem pobres.

Um Estadista que admire

É um mundo muito confuso, é difícil encontrar modelos, mas talvez o Lula, do Brasil, seja o Estadista que admiro, porque trabalha por uma sociedade inclusiva.

Um sonho

Ter uma sociedade inclusiva. Esse é o meu grande sonho.

Na memória do povo

Gostaria de ser recordado como um bom Patriota
 
@SAPO

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:03


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D